O Teatro Municipal foi palco na noite da última quarta-feira (31) da abertura do Painel Público sobre Tráfico de Mulheres e Meninas, promovida pela Associação Mulheres pela Paz em parceria com a Prefeitura e Fundo Social de São Sebastião e outras entidades. Um dos principais objetivos do debate é aumentar a sensibilidade da mídia e da opinião pública sobre a gravidade da questão.

Durante o evento, especialistas e autoridades locais contribuíram para o a discussão sobre o tema, assim como ajudaram a fortalecer a rede de serviços contra o tráfico humano, formada por pessoas do governo, não governamentais e de universidades.

A presidenta do Conselho da Condição Feminina de São Sebastião, Andrea Hiraoka avalia que o tema é pouco reconhecido na sociedade, e a discussão precisaria ser ampliada pelas organizações, movimentos e canais de comunicação. “São necessárias ações de repressão, assistência e prevenção para coibir essa prática criminosa que é a terceira mais rentável do mundo, perdendo apenas para tráfico de drogas e armas”, considerou.

A Associação Mulheres pela Paz realiza nesta quinta-feira (1), uma oficina de educação popular feminista, fechada para 50 lideranças locais que atuam em ONGs, órgãos públicos e universidades, no salão de eventos do Porto Grande Hotel & Convention.