A Prefeitura de São Sebastião, por meio da Fundação Educacional e Cultural “Deodato Sant’Anna” (FUNDASS), está oferecendo diversos cursos de aperfeiçoamento e capacitação aos artistas orientadores das oficinas culturais, garantindo formação continuada gratuita, visando à arte como construção de conhecimento e assegurando a qualidade das aulas de oficinas culturais.

Acreditando na troca de experiência e de vivências, nesse quadrimestre, a prefeitura já promoveu cinco encontros com renomados professores e palestrantes.

No início de março, o psicólogo clínico, especialista em psicoterapia psicodinâmica breve, Hebert Luckman, ministrou uma palestra cujo tema abordado foi “Cultura e Inteligência Emocional: Alimentando a experiência humana”, onde foi ressaltada a importância do papel dos artistas orientadores no aprendizado dos alunos, de forma que consigam desenvolver neles sua capacidade artística e criativa.
“O artista orientador pode oferecer ao seu aprendiz técnicas que desenvolvam sua capacidade artística e criativa, além de poder oferecer ao seu aluno novas maneiras de ver o mundo.” Ressaltou Luckman.

Para continuar a formação, foi realizado também o curso “Arte Educador”, ministrado pelos professores Luciano Draetta, palhaço do Circo Navegador, e Priscila Oliveira, doutora em antropologia e também professora universitária. Eles abordaram a relação dos arte-educadores com os alunos, a experiência a ser compartilhada, e reflexões sobre a importância do seu oficio e seu papel na transformação social.

Nos dias 11 e 25 de março, em parceria com o Governo do Estado de São Paulo, a comunidade e os artistas orientadores, sobretudo os das oficinas de dança, puderam participar da oficina “Conexão entre dança contemporânea e danças brasileiras”, coordenada pela atriz, dançarina profissional e pesquisadora cultural, Mônica Alvarenga, por meio do estudo das Danças Brasileiras. A oficina explorou passos, ritmos, posturas e manobras coreográficas populares dentro de um processo contemporâneo de estudo da cena. Os participantes experimentaram possibilidades de reelaborar danças como o Frevo, Cacuriá, Côco, Maracatú e Jongo.

De 20 a 23 de março, também em parceria com o Governo do Estado de São Paulo, a Secretaria da Cultura, a Poiesis e as Oficinas Culturais do Estado, com apoio da Prefeitura de São Sebastião, foi realizada a oficina “Da Ideia à Ação”, coordenada pela produtora cultural Luciana Machado.

Aberto ao público, o curso foi gratuito e desenvolvido em quatro encontros. A oficina de Gestão Cultural propôs a dinâmica de elaboração de uma proposta cultural contextualizada, a partir do repertório pessoal de cada participante. “Realizamos dinâmicas em grupo e diagnósticos de possibilidades além do conteúdo previsto inicialmente, e acredito que uma nova rede de atuação colaborativa tenha se iniciado”, informou Machado.

A experimentação abordou aportes conceituais e fomentou um conjunto de questionamentos, a fim de estimular a construção reflexiva, a identificação de territórios e o empreendedorismo local. Sobretudo, a oficina apresentou a elaboração de projetos como uma poderosa ferramenta de construção muito além de sua utilização em editais e leis de incentivo.

Voltado aos artistas orientadores das oficinas culturais de dança e aos grupos e escolas de dança da cidade, a Prefeitura de São Sebastião também ofereceu um curso de aprimoramento técnico ministrado pela renomada diretora, coreografa e professora do projeto Ballet Paraisópolis, Monica Tarragó, nos dias 14 e 15 de abril.

O curso teve como conteúdo a Gestão de Projetos e Pessoas, Metodologias de Ensino e como o Ballet Paraisópolis entende a valorização da dança pelo ensino da arte e da educação.

A professora de dança das Oficinas Culturais, Michele Nunes, ressaltou a qualidade do curso. “Iniciativas assim somam ao nosso trabalho, trazendo uma possibilidade de aprender cada vez mais, perceber as evoluções que acontecem na dança, sempre se reciclando e aprendendo. O curso é de alto nível, conta com profissionais excelentes e tenho certeza que tudo que aprendemos aqui, refletirá nas aulas”, salientou.

Para idealizadora, diretora e professora do Ballet Paraisópolis, Monica Tarragó, essa troca de experiências é essencial para o desenvolvimento de um profissional. “Percebi que todos absorveram com muita vontade e tivemos presentes professores e alunos que fizerem perguntas bárbaras e pertinentes, tornando essa troca de experiências e conhecimentos ainda mais produtiva. Parabenizo a Prefeitura de São Sebastião e a FUNDASS pela bela iniciativa de capacitar os profissionais da dança no município”.

A Prefeitura de São Sebastião está investindo fortemente em políticas públicas de cultura, promovendo capacitações aos artistas orientadores e oferecendo serviços de qualidade aos cidadãos, acreditando na cultura como principal agente transformador.